UA-142702713-1 Uma vida comum equilibrada
  • MOPS Brasil Blog

Uma vida comum equilibrada


Ao construir minha comunidade de mães nos últimos anos, aprendi que isso é uma coisa pela qual todas lutamos em nossas vidas: equilíbrio.


Equilíbrio se tornou um tema constante nas nossas conversas.


Onde a família, os amigos, o amor, o trabalho, os hobbies e o cuidado pessoal se enquadram nessa imagem de equilíbrio? Como temos tempo para tudo isso? Como escolhemos gastar nosso tempo?


Para muitas mulheres, o sucesso momentâneo está em dizer "não" para um compromisso extra desnecessário ou conseguir sair rapidamente pela porta à noite para chegar em uma aula de ginástica. Para mim, exercício físico tem sido uma prioridade desde os meus 15 anos - para mim é realmente uma questão de qualidade de vida.


Fui diagnosticada com artrite aos 15 anos de idade, quando começava as buscas por uma faculdade e planejava o meu futuro profissional. Aos 23 anos, enquanto me preparava para casar com meu namorado e encontrar meu lugar no mundo do trabalho, fui diagnosticada com a doença de Crohn. Duas grandes mudanças de vida em dois momentos fundamentais. O diagnóstico e as lutas do dia-a-dia são uma história para outro dia, mas obviamente ambos afetaram minha vida. Essas condições são fisicamente debilitantes e emocionalmente desgastantes. Afetam meu sistema imunológico e roubam minha energia. O estresse se tornou meu pior inimigo, pois desencadeia todos os sintomas.


Após o diagnóstico inicial, meus pais decidiram que se render à doença não seria o nosso caminho. Meu pai me tirava da cama todas as manhãs, horas antes da escola, para nadar e despertar minhas articulações durante o dia. Minha mãe trabalhou arduamente para me convencer de que a respiração controlada era tão importante quanto qualquer medicamento. Eu deixei de lado meu orgulho e aceitei a ajuda de todos.


Muitas lembranças dolorosas estavam ligadas à minha saúde (ou falta dela). Perdendo oportunidades de emprego emocionantes devido ao estresse do trabalho, assistindo outras pessoas se aventurarem em viagens que exigiam muito fisicamente, esperando sete anos para o meu casamento até que meus medicamentos finalmente estivessem sob controle para engravidar. Toda decisão que tomei (e ainda tomo) está relacionada às necessidades do meu corpo.


Meu marido e eu criamos uma grande analogia com a compreensão desse conceito.

Todos os dias, recebemos um pote de energia e precisamos escolher como usar essa energia.

Se eu tiver uma grande apresentação pela manhã, precisarei relaxar em casa naquela noite porque me sinto exausta. Se eu quiser sair com as amigas no sábado à noite, precisarei poupar a extensa limpeza da casa para outro dia. Se eu estiver sozinha como mamãe o dia todo com meu bebê que exige muita atenção, então você sabe que haverá alguns episodios na TV durante a tarde para ele, para que eu possa relaxar também.

Alguns dias meu coração se concentra nas perdas, nos sonhos e ambições que minha personalidade perdeu devido à minha saúde. Mas, na maioria dos dias, colho os benefícios de uma vida bem equilibrada.


Lembro-me da minha força e poder ao optar por dormir uma noite inteira, dar um passeio à tarde e entender meus limites. Lembro-me de que escolhi como gastar cada minuto do meu dia e que sou abençoada com um belo sistema de apoio de familiares e amigos.


Recentemente, duas amigas me disseram que admiravam o modo como equilibro a vida e me olham como modelo. Percebi que, com essas perdas, ganhei um presente para transmitir aos outros. Eu me enraizei como um constante apoio e advogo para que aqueles ao meu redor cuidem de si mesmos.

Nem todo mundo tem os desafios de saúde que complicaram minha situação, mas TODAS nós temos apenas uma quantidade finita de energia em nossos frascos.

Eu deixei o emprego dos meus sonhos no ano passado porque o estresse de ser mãe o dia todo, acompanhar o ritmo da posição e gerenciar minhas necessidades médicas estava consumindo mais energia do que eu tinha no meu frasco todos os dias. Embora eu definitivamente sinta falta de trabalhar alguns dias (e do dinheiro!), eu me pego mergulhando nesses momentos simples e comuns com minha filha aprendendo coisas novas, admirando seu rosto doce (dormindo) à noite e me lembrando que essa vida "comum" significa que meus sonhos realmente podem se tornar realidade.


Steffani Baker



Publicado originalmente no blog do MOPS International.

Steffani Baker, M.Ed. - Steffani é uma educadora em saúde apaixonada por aprender coisas novas e capacitar pessoas de todas as origens. Ela passa o máximo de tempo possível ao ar livre com seu bebê, marido e cão.


MATRIZ NOS ESTADOS UNIDOS:

www.mops.org

MOPS International, Inc. 
2370 South Trenton Way 
Denver, CO 80231-3822

 

TELEFONE:

303.733.5353 or 888.910.6677

 

EMAIL MOPS:

info@mops.org (General Info) 

NAVEGAÇÃO NO SITE

NAVEGAÇÃO NO SITE

NOSSO BLOG

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Pinterest Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Blogger Icon

PORTUGUÊS:

www.mopsbr.com.br

EMAIL MOPS Brasil:

ministeriomops@gmail.com

MOPS encoraja e equipa mães de crianças pequenas, em parceria com a igreja local, para descobrirem o seu potencial como mães, mulheres e líderes em seu relacionamento com Jesus.